BIÓPSIA:

O que você precisa saber

Perguntas frequentes:

A biópsia é um procedimento simples realizado rotineiramente por dentistas e médicos. Especificamente, a biópsia consiste na remoção de uma amostra de células e/ou tecidos do organismo vivo, no caso, seres humanos. Após esta remoção, o material extraído é identificado e enviado para um especialista chamado Patologista, que é responsável por todo o processamento do material e análise microscópica do mesmo. Depois da realização de tais procedimentos, o Patologista emitirá um laudo histopatológico informando as características do material analisado e chegando, na maioria das vezes, a um diagnóstico definitivo da doença e/ou alteração em questão.

  • Qual é a indicação de uma biópsia? Será que estou com câncer ou uma doença grave?
    É impressionante verificar como muitos pacientes possuem verdadeiro pavor quando escutam a palavra “biópsia”. Acreditamos que isto ocorra devido a uma carência de maior informação frente a tal procedimento. Na verdade, a biópsia é realizada para diagnosticar-se desde as mais simples alterações como um cisto, por exemplo, até enfermidades graves como um câncer. É importante ressaltar que, na maioria das vezes, o diagnóstico final após a realização da biópsia é compatível com doenças simples que acontecem em grande parte da população. Ou seja, a realização de uma biópsia não está estritamente relacionada com uma lesão suspeita de câncer na maioria dos casos.

  • Existe mais de uma forma de biópsia?
    Sim. Na boca, são realizadas basicamente três tipos de biópsia:

    • Citologia esfoliativa. Nessa técnica, o raspa-se a superfície de uma área suspeita e coloca sob uma lâmina de vidro o material coletado. A amostra é marcada com um corante de modo que as células cancerígenas possam ser visualizadas ao microscópio. Se qualquer uma das células aparecer anormal, a região será biopsiada. A vantagem dessa técnica é que é fácil, e cada área com aparência ligeiramente anormal pode ser avaliada. Às vezes não é possível ver a diferença entre células cancerígenas e células anormais, ou seja, que não são câncer são denominadas células displásicas, nesse caso a biópsia deve ser realizada.

    • Biopsia incisional / excisional (remoção parcial / total). Tipos mais comuns de biópsia para a região da boca ou garganta e são feitas com o paciente sob anestesia.

    • Biópsia aspirativa por agulha fina. Na biópsia aspirativa por agulha fina, o profissional utiliza uma agulha muito fina, para aspirar algumas células do tumor, que são posteriormente enviadas para análise. Essa técnica não é utilizada em áreas suspeitas da boca ou da garganta, mas às vezes é necessária quando um paciente, por exemplo, tem uma massa cervical que pode ser sentida na palpação ou visualizada na tomografia computadorizada. Esse procedimento pode ser útil em diversas situações, como, por exemplo, diagnosticar a causa de uma massa cervical, determinar a extensão e comprometimento da doença, e, avaliar uma recidiva.

  • Como o material é processado?
    Após a remoção da amostra tecidual, esta deve ser colocada em um recipiente contendo solução de formol em uma concentração à 10% e ser enviada para o patologista de escolha. Assim que o patologista recebe o fragmento biopsiado, inicia-se uma série de procedimentos técnicos para que possa ser confeccionada uma lâmina histológica.

  • Quanto tempo leva para sair o resultado da biópsia?
    Conforme relatado anteriormente, existe uma série de procedimentos técnicos que demanda algum tempo. Geralmente, o tempo decorrido desde a remoção da lesão até o diagnóstico do Patologista gira entre 7 a 14 dias. Todavia, existem lesões de difícil diagnóstico e outras situações (biópsia do osso) nas quais o resultado pode demorar em torno de 1 mês. Após o resultado, o dentista deverá entrar em contato com o paciente para lhe repassar o resultado (laudo histopatológico) e explicar cuidadosamente as informações presentes no laudo do patologista, de modo a tornar claro qual doença se trata e o que será realizado para o tratamento da mesma.

  • Existe alguma contraindicação para se realizar uma biópsia?
    Apesar do medo de algumas pessoas, a biópsia deveria ser utilizada rotineiramente para diagnóstico de lesões. Podemos afirmar com certeza que, de maneira geral, não existem grandes preocupações para a realização de uma biópsia. Entretanto, sua realização deve ser feita por um profissional que tenha habilidade para saber retirar o material de forma adequada, pois a escolha da área a ser analisada será importante para a formulação do diagnóstico. No entanto, algumas situações peculiares podem impossibilitar sua realização. O dentista deverá analisar cada caso com cautela e, quando achar necessário, encaminhar o paciente para o estomatologista, o especialista da odontologia responsável pela avaliação das lesões bucais, que poderá auxiliá-lo e informar ao paciente se existe contra-indicação e que cuidados deverão ser tomados.

É importante destacarmos que para lesões bucais, o material a ser analisado deve ser encaminhado para o patologista bucal, pois este profissional, por possuir maior conhecimento dos tecidos da boca, terá melhores condições técnicas de formular uma análise mais detalhada.
 

Texto redigido por: Prof. Dr. Rivadávio Amorim e Profa. Cristina Cavalari 

AFTAS : O que você precisa saber >>

INTEGRANDO A SAÚDE BUCAL

AO

CORPO HUMANO

Prevenção - Função - Estética

Dra. Denise Falcão - CRO 2206

© 2020 por Clínica Humanus. Criado com Wix.com